“A Colónia” – opinião

A Colónia (Tides) é um thriller de ficção científica alemão-suíço falado em língua inglesa, realizado e escrito por Tim Fehlbaum.

O filme teve a sua estreia mundial no 71º Festival Internacional de Cinema de Berlim em Março deste ano e arrecadou 4 prémios (Melhor Banda Sonora, Melhor Design de Produção, Melhor Caracterização e Melhor Efeitos Especiais) das 6 nomeações. Foi também premiado no Festival de Filmes da Baviera, com os prémios de Melhor Realização e Melhor Cinematografia.

Louise Blake (Nora Arnezeder) é uma astronauta proveniente do Planeta Kepler-209, local de refúgio da “elite governante” da Terra quando esta se tornou inabitável. Numa era pós-apocalíptica, Blake e os seus dois colegas são enviados para a Terra com a missão de reconhecimento das condições naturais do planeta e conseguir respostas para a infertilidade que a comunidade existente no Planeta Kepler está a sofrer.
“For the many” (pela maioria) é o lema desta comunidade que luta contra a extinção da sua própria espécie e que mantém a esperança e força de Louise Blake e dos seus companheiros. Além desta missão, Blake tem ainda um desejo pessoal: encontrar o seu pai há muito desaparecido. Ele havia viajado para este planeta com o intuito de criar as condições necessárias para o repovoamento deste planeta que se tinha tornado inóspito devido a alterações climáticas e a erros da humanidade relativamente à conservação da natureza e preservação dos ecossistemas. Após sofrer uma aparatosa queda e uma baixa com o seu módulo espacial, Louise e Tucker são confrontados com um grupo de pessoas que vive em condições muito precárias, mas que trazem alguma esperança – várias crianças fazem parte deste grupo que se sente ameaçado com a presença destes dois astronautas.

Ao tentar conviver encarcerada com esta gente quase primitiva, Louise consegue estabelecer contacto e amizade com uma das crianças. Logo descobre que esta comunidade não é a única, razão pela qual a desconfiança e ameaça prevalecem neste grupo de pessoas.

Os confrontos entre colónias e o desaparecimento de “apenas” meninas da comunidade onde se encontrava, leva Kepler a investigar introduzindo-se na colónia rival. É neste local que encontra o seu pai (Sebastian Roché) e o colega de trabalho Gibson (Iain Glen).

Mas nem tudo é o que parece e Louise tem de agir mediante os seus instintos e a sua perspicácia.

E quanto ao filme em si?

Tim Fehlbaum apresenta-nos um trabalho com uma excelente fotografia, com destaque para os grandes planos da superfície terrestre e para a caracterização e guarda-roupa.

A Colónia, sendo um filme baseado numa distopia, não oferece nada de novo relativamente ao argumento. No entanto, o tema da preservação da natureza, ou a consequência da não preservação está bem vincado no filme, posicionando-o como um filme atual que se preocupa em focar um dos mais mediáticos assuntos mundiais.

Realização e Argumento: Tim Fehlbaum
Elenco: Nora Arnezeder, Iain Glen, Sebastian Roché, Sarah-Sofie Boussnina
Estreia: 18 de Novembro nos cinemas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *