Deixa-te levar pela doce voz de “Belle”

Quando vi o trailer de Belle, o novo filme de Mamoru Hosoda, pensava que seria mais um Summer Wars 2.0, devido à temática. Uma aventura passada entre o mundo real e o digital, com uma grande luta no final. Apesar de estar certo em relação ao fato da narrativa se desenvolver entre estes dois mundos, estava completamente enganado em relação ao resto.

Em Belle, acompanhamos a jornada de Suzu, uma rapariga estudante de 17 anos que vive com o pai numa zona rural.  Sem a presença da mãe, que perdeu com apenas 6 anos, Suzo apresenta uma enorme cicatriz emocional. Apesar de se dedicar à música, atividade que descobriu e alimentou influenciada pela sua mãe, não consegue lidar com a pressão de cantar à frente de outras pessoas. 

O set-up de Hiroka

Tudo isto muda quando a sua amiga Hiroka lhe envia um convite para se juntar ao U, um mundo virtual onde Suzu cria Belle como o seu avatar e finalmente ganha coragem para partilhar a sua voz com milhares de utilizadores. Tal proeza torna-a mundialmente famosa, ganhando milhões de seguidores de uma só vez, o que lhe causa algum desconforto porque não está habituada a ser o centro das atenções. Suzu vive agora uma vida dupla. Por um lado, é a rapariga tímida que evita os colegas na escola, e por outro, é a mega-estrela virtual mundialmente famosa. 

Belle no meio da sua legião de fãs

Certo dia, durante um espetáculo virtual, quando menos espera, vê o palco ser invadido por uma criatura avatar conhecida como o Dragão. O seu utilizador tem vindo a  causar diversos distúrbios em U, sendo perseguido por Justin, líder das forças especiais que mantêm a ordem neste universo. A força do Dragão deixa Belle fascinada e decidida em descobrir a identidade do utilizador por detrás da besta.

Belle dá início a uma investigação, juntamente com Hiroka, que põe à prova as suas próprias crenças, acabando por desvendar algo completamente sombrio e inesperado.

Animação

A animação é fluida e as cenas passadas no mundo real são em 2D. Os movimentos das personagens demonstram ter um certo peso, como se fossem afetadas pelas leis da física.

Em oposição, no mundo virtual as animações são em 3D. As personagens flutuam, são mais leves e têm movimentos rápidos. Também se verifica uma palete de cores mais variada e vibrante.

O Dragão demonstra a sua incrível força.

Narrativa

A narrativa apresenta alguns clichés habituais, muito presentes em filmes de animação japonesa, como, por exemplo, a adolescente que perde um dos progenitores e se distancia emocionalmente do outro. No entanto, introduz outros elementos inovadores que ajudam a equilibrar, como o impacto das redes sociais (neste caso o U) na vida de Suzu, a relação de amizade que esta desenvolve com a rapariga mais popular da escola, ao invés de se tornarem rivais e até a dinâmica com as senhoras de coro.

A história intercala os momentos de grande intensidade e exposição com momentos mais calmos, o que permite digerir a informação.

Ideias Finais 

O filme Belle corresponde em tudo ao seu nome. A sua beleza proporciona um autêntico espetáculo de estímulos visuais. As músicas ficam no ouvido e os temas abordados são muito relevantes para a atualidade.

É aconselhável que levem lenços de papel quando o forem assistir ao cinema, pois o filme tem vários momentos de fortes emoções e a experiência na sala de cinema pode-se tornar intensa. 

Belle já se encontra disponível nos cinemas.