Mr. & Ms. Smith, quero mais!

Por Diana Mocho

Mr. & Ms. Smith é a nova aposta da Prime Video e é, sem dúvida, uma série de fazer crescer água na boca. Estreia a 2 de fevereiro de 2024 e é uma série de espionagem americana, com uma boa pitada de comédia, criada pela dupla Francesca Sloane e Donald Glover.

Baseada no filme homónimo de 2005, com Angelina Jolie e Brad Pitt, mas com nuances que a distinguem do mesmo, diferencia-se pelo ritmo paulatino dos acontecimentos, longe do ritmo frenético de tantos filmes de ação e espionagem. Não pensem, contudo, que a série não tem as cenas de ação que nos agarram ao ecrã, mas estas surgem de forma desavisada, como apenas na vida real poderiam acontecer. Tão terra a terra, mas tão autênticas que nos fariam dizer: “isto só em filme!”.

Os atores Donald Glover (Mr. Smith) e Maya Erskine (Ms. Smith) surgem como personagens que decidem mudar de vida e juntar-se a uma organização misteriosa de espionagem. Terão que o fazer não apenas como parceiros, mas também como marido e mulher. É esta interação que dá o mote à série, complementada por personagens têm uma linha de raciocínio muito própria e personalidades tão demarcadas que parecem não ter tons de cinzento.

Mas será que não os têm? A construção da narrativa envolve-nos ao ponto de querermos conhecer melhor Jane e John Smith: o que as motiva, porque se comportam daquela forma? Os atores conseguem transformar espiões em pessoas tão humanas e tão mundanas que poderiam ser qualquer pessoa com quem nos cruzaríamos no dia a dia, e, no entanto, tão interessantes que se torna uma mistura explosiva e aditiva. O discurso é aberto e repleto de honestidade, com o devido desconto de desconfiança que apenas espiões poderiam ter. Esta característica transforma todo um genre em algo refrescante de se assistir e que eleva a comédia a um nível sublime e palpável.

Claro está que a série não é só de comédia. Existe, aliás, um sub tom bem mais sério, mais perigoso, com o qual somos presenteados logo ao princípio. Esta é uma questão que não devemos descurar, não fosse esta a relação de um casal iniciada no mundo de espionagem. Relação essa que terá, ou não, de sobreviver às pressões de um mundo onde o glamour só existe em filme. Um mistério que se avoluma e se acrescenta a tantos outros conforme avançamos na história. Como se vários cliffhangers se acumulassem no fundo da nossa mente e nos levassem a querer mais e mais ver o que acontece a seguir.

Sim, só um episódio não chega e passamos por eles como se estivéssemos apenas a respirar, de tão bem construída que está a narrativa. Espero, assim, continuar a ver esta dupla a triunfar comicamente no mundo da espionagem.